sexta-feira, 5 de agosto de 2011

FERNANDA LOBO

Hoje recebi uma notícia triste. A morte da amiga Fernanda Lobo. Atriz das mais talentosas, estrela de primeira grandeza.



Foi em um irradiante dia de agosto que Fernanda encerrou sua participação no maior filme protagonizado por ela, sua própria vida. Bravo! Bravíssimo! Imagino um caminho cheio de arte, cultura, pessoas de todas as riquezas, todas as crenças, todas as cores e verdades. Um minuto de sliênio. Pare o mundo, deixe o vento assumir seu papel, protagonizar a história, só ele tem a experiência e o talento para vir logo após uma diva de alto quilate.



O vento veio fresco, aconchegante, refrescante, mis forte até que o sol, que mudou rapidamente de papel, e em vez de esquentar agora dava luz, mais luz para o gran finale da História de Fernanda Lobo. Atriz, expoente maior das quentes terras de Cataguases. Linda, louca, forte, surpreendente, encantadora, de toda essa terra de gente boa, a melhor das artes visuais. Fernanda é uma atriz premiada e a maior realização cinematógrafica e televisa dessa gente boa.



De Humberto Mauro à Fernanda Lobo. Que a história do cinema e da televisão tenha bem claro a importância desses capítulos, eles se completam, se entrelaçam e para isso o tempo é um mero coadjuvante. Assim como o pai do cinema, a musa tinha em vida a paixão por esta arte. Ao ler o capítulo Fernanda Lobo, vamos descobrir ensinamentos valiosos nas entranhas de Gana Ganância da novela infanto juvenil Caça Talentos, da contadora de histórias nas bibliotecas do Rio de Janeiro, da ajudante do Raimundo Flamel em Fera Ferida, da cartomante do filme de mesmo nome, da prostituta do curta Roupas no Varal. Vamos conhecer a concentração, a paixão, o entusiasmo, o interesse pelo texto, pelos relfetores, pela maquiagem e figurino, pela direção, caâmera, luz, ação!



Saberemos as aventuras e desvaneios dos sets e estúdios, que ela adorava, ma de suas últimas performances foi em minutos reunir um elenco estrelar para a figuração final do longa Meu Pé de Laranja Lima, rodado e produzido em Cataguases. Fernanda tá viva, a todo instante aumenta a certeza do valor da sua obra. E de todas as histórias dentro de cada uma delas.

Palmas! Bravo! Bravíssimo! O vento baila, tem música no ar, sinfonia da natureza, onde está a cortina vermelha! Pode ser um teatro? O tempo agora é real. Nada é mais precisoso que a vida, mesmo que seja curta, é curta, é como um filme, que bom que ele termina azul e calmo.




Fernanda Lobo: minha amiga querida, sempre viva em mim. A foto acima foi tirada por ela na noite de seu último aniversário, Nanda tinha uma visão tão apaixonante sobre mim, me sinto tão vivo por isso. Acima, a primeira foto que ilustra o texto são as rosas que levei de presente, coincidência ou não descobri no dia do ato final que entre suas três maiores paixões, abaixo de Dona Verinha e todas as cachorrinhas, estavam as rosas.

2 comentários:

  1. Fernanda Lobo. Carismática , amável. Pessoa do coração. Sinto!!!
    Descanse me paz.

    ResponderExcluir
  2. Quanta saudade minha amiga! Saudades eternas!

    ResponderExcluir